Paulo Roberto Alves, Advogado

Paulo Roberto Alves

Ribeirão Preto (SP)
7seguidores74seguindo
Entrar em contato

Principais áreas de atuação

Direito do Consumidor, 25%

É um ramo do direito que lida com conflitos de consumo e com a defesa dos direitos dos consumidor...

Trânsito, 25%

É a utilização das vias por veículos motorizados, veículos não motorizados, pedestres e animais, ...

Propriedade Intelectual, 25%

Pretende garantir a inventores ou responsáveis por qualquer produção do intelecto (seja nos domín...

Direito Civil, 25%

É o principal ramo do direito privado. Trata-se do conjunto de normas (regras e princípios) que r...

Comentários

(76)

Recomendações

(19)
Arnaldo Fontes Santos, Advogado
Arnaldo Fontes Santos
Comentário · há 2 anos
Como sempre, brilhante e precisa análise do Prof. Sarmento. Sem qualquer sombra de dúvida, vemos uma nação virar um circo de horrores e teratologias jurídicas. Creio que Justiça nada tem a ver com o Direito (conforme artigo por mim já publicado, sob o título "Justiça versus Direito). O primeiro trata de um ideal nobre e humanitário para a preservação da sociedade. Já o segundo, são regramentos para evitar a destruição da sociedade, em face das características peculiares dos seres humanos. Infelizmente, a maior parte da humanidade não evoluiu, continua se debatendo entre o racional e os instintos primitivos, dificultando a elevação da mentalidade e a permanência dos vícios perniciosos da ignorância, belicosidade e da ausência de compreensão sobre sua própria natureza. Citando Schopenhauer: “Este mundo é o campo de batalha de seres atormentados e agonizantes que continuam a existir apenas devorando-se uns aos outros.” e Oscar Wilde: Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe.", constata-se a gigantesca dificuldade na valorização do que é nobre, ético, honesto e decente. A cultura e educação é base essencial para a construção de uma Democracia eficiente e justa. No Brasil, lamentavelmente, carecemos destes pilares, o que gera o estado de coisas que vivemos. Como também assevera Albert Einstein: "O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer.". Ora, concessa maxima venia, num país onde apenas 8% da população entende o que lê e onde a ignorância abre as portas para o fanatismo doutrinário, seja de que ordem for, não é de se admirar que tenhamos a hermenêutica das ideologias e, principalmente, da lei distorcidas e manipuladas por interesses particulares e escusos. O mister, no final das contas, não é proteger a nação, mas sim encontrar brechas ou criações mirabolantes para dirigir decisões de suma importância para o país aos rincões dos maquiavélicos desvios de finalidade, beneficiando grupos que perseguem apenas o poder pelo poder e a dominação do patrimônio público para uso próprio, ou como ferramenta de barganha. Independentemente de quaisquer tipos de ideologias, o Brasil merece a célebre e mais que atual frase de Ruy Barbosa: “De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto.” É assim que me sinto perante o Brasil.
Cassius Garcia
Cassius Garcia
Comentário · há 2 anos

Perfis que segue

(74)
Carregando

Seguidores

(7)
Carregando

Tópicos de interesse

(89)
Carregando
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

Outros advogados em Ribeirão Preto (SP)

Carregando

ANÚNCIO PATROCINADO

Paulo Roberto Alves

Entrar em contato